O futuro da mobilidade: análise do cenário de investimentos feita pela McKinsey

Neste tempo de crise, a indústria automobilística não pode se dar ao luxo de ignorar tendências tecnológicas cruciais. A análise do cenário de investimento em mobilidade feita pela McKinsey ajuda os líderes das empresas a tomarem decisões inteligentes agora.

Em 2020, a pandemia global COVID-19 desencadeou uma das piores crises econômicas em uma geração, e a indústria da mobilidade foi um dos setores mais afetados. A crise deu ao setor automotivo, fornecedores e outros participantes da mobilidade um novo mandato de receita e lucro: desenvolver uma estratégia de negócios sustentável que se alinhe com as realidades do próximo normal.
Para ajudar as empresas já estabelecidas e as novas empresas a alcançarem essa visão, a McKinsey revisou o cenário para startups e investimentos em mobilidade. Além de analisar os valores investidos por e em empresas específicas, foram identificadas as tecnologias que mais captaram recursos, com foco em 17 categorias críticas relacionadas aos autônomos, conectividade, eletrificação e mobilidade inteligente compartilhada (CASE).

Para obter uma vantagem competitiva, invista com sabedoria

Apesar da pandemia, os participantes da mobilidade não podem ignorar os desenvolvimentos relacionados ao CASE se desejam alcançar uma vantagem competitiva na próxima década.
Mesmo que o cenário econômico atual tenha aumentado as pressões financeiras sobre os participantes da mobilidade, as tecnologias CASE continuarão a evoluir e a perturbar o cenário automotivo.
Para garantir seu sucesso futuro neste ambiente em mudança, os líderes devem seguir duas etapas: (1) devem revisar os temas potenciais de investimento do CASE e identificar os mais promissores, uma vez que seria impossível para um único player perseguir todas as tendências, e; (2) as empresas devem criar um plano que apoie suas prioridades de investimento selecionadas.

Ele deve descrever as tecnologias ou ativos específicos que merecem investimento e como a empresa gastará dinheiro para atingir os recursos desejados. A parte “como” levanta algumas questões estratégicas, como se as empresas devessem seguir as tendências CASE internamente, fazer uma parceria ou seguir a rota de fusões e aquisições.

A relevância contínua do CASE

Os investimentos em tecnologias operacionais permanecem pequenos, mas continuam a aumentar, especialmente para compartilhamento de carros, estações de recarga e tecnologias de bateria, com um total de US $ 29 bilhões investidos desde 2010. É importante observar que essa tendência já ocorria bem antes da pandemia.

O investimento em tecnologias de mobilidade futura continuou durante a pandemia. Por exemplo, uma montadora dos EUA chegou a um acordo com outra empresa automotiva na primavera de 2020 para desenvolver novos EVs, usando as tecnologias de bateria da segunda marca. Mais tarde no mesmo ano, um fabricante de veículos comerciais anunciou parcerias com duas empresas de tecnologia para desenvolver AVs.

De acordo com a análise, o investimento em tecnologias de mobilidade totalizou US $ 39 bilhões até outubro de 2020, sugerindo que os gastos totais para o ano provavelmente serão semelhantes aos US $ 51 bilhões vistos em 2019.

Definir o foco correto da tecnologia e ter uma compreensão detalhada das tecnologias subjacentes às tendências do CASE é crucial para garantir uma posição forte nas quatro áreas do CASE. De acordo com a análise, as tecnologias CASE subjacentes que atraem investimentos estão principalmente relacionadas à direção autônoma, conectividade e eletrificação.

Investimentos menores e direcionados em tecnologias subjacentes

Quando olhamos os investimentos de um ângulo de tecnologia, em vez de um ângulo da empresa, algumas diferenças surgiram. Por exemplo, os investimentos em empresas de mobilidade compartilhada tendem a ser maiores, já que costumam se concentrar em ganhar escala e construir a base de clientes. Os investimentos em tecnologia podem ser de valor mais baixo porque geralmente vão para empresas menores com tecnologias distintas.

Conclusão

Neste momento, é fundamental para todos os interessados em mobilidade, incluindo incumbentes, gigantes da tecnologia e investidores, entender para onde o mercado está se movendo e por quê.

Ao analisar os investimentos em CASE e as tecnologias subjacentes, os líderes de negócios podem identificar oportunidades emergentes. Ou seja, a melhor forma de entender o setor neste momento é simples: acompanhe os investimentos e a tecnologia.

 

 

Uma versão deste artigo foi publicada pela primeira vez no Automotive World. Saiba mais em: https://www.mckinsey.com/industries/automotive-and-assembly/our-insights/mobilitys-future-an-investment-reality-check

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *